• Hidratação da pele


    A lubrificação natural, produzida constantemente pela pele, protege a mesma de ressecamentos, irritações, envelhecimento precoce e até de infecções. Tanto a pele do rosto, quanto do corpo necessitam de uma hidratação adequada, porém, no inverno, é no corpo que percebemos um maior ressecamento. Isso porque na face temos mais glândulas sebáceas do que no corpo, e elas participam ativamente da manutenção desta hidratação natural. Além disso, no inverno os banhos são mais demorados, a água é mais quente, e associado a isso temos ainda o uso de sabonetes e buchas que acabam por retirar ainda mais a lubrificação natural da pele e favorecem o ressecamento e o surgimento de dermatites.

    Deve-se evitar o uso excessivo de sabonetes, evitar o uso de buchas, banhos muito quentes e prolongados, e usar hidratantes corporais sempre após o banho. Já os hidratantes faciais, mesmo no inverno, devem seguir a orientação do tipo de pele.

  • Queda de Cabelos


    queda-de-cabelo_WEB

    Os cabelos são a moldura do rosto. Além de serem um aspecto de beleza, eles também possuem funções importantes para a saúde. Servem como proteção natural da pele da cabeça, agindo como um protetor solar natural. Além disso, protegem contra o frio e calor e possuem a função de sensibilidade tátil.

    Os cabelos e seu ciclo de crescimento
    O cabelo apresenta um ciclo de crescimento composto de 3 fases:

    fase anágena: fase de crescimento e desenvolvimento- duração de 2 a 4 anos.
    fase catágena: interrupção do crescimento – duração de 3 semanas.
    fase telógena: desprendimento do cabelo- duração 3 a 4 meses. Ao final desse processo, o cabelo é desprendido, surgindo outro fio no local para substituí-lo.

  • Unhas frágeis


    UNHASWEB

    Unhas frágeis é uma queixa frequente nos consultórios dos dermatologistas. É mais comum em mulheres, chegando a afetar quase 20% da população geral.

    Causas comuns
    As causa mais comuns de unhas frágeis são:
    exposição a agentes químicos, traumas repetitivos, por exemplo: digitação, infecção por fungos, uso de alguns cosméticos, envelhecimento natural, por exemplo: idosos, uso abusivo de removedores de esmalte, por exemplo: acetona, doenças sistêmicas: alterações da tireóide, diabetes, deficiências circulatórias, anemia, gravidez entre outras.
  • Queimaduras solar


    queimadurassolarweb

    A queimadura solar decorre da exposição exagerada aos raios ultravioletas do sol. Embora, os sintomas sejam temporários, a pele é danificada permanentemente e pode, no futuro, levar ao câncer de pele.

    Como tratar? coloque compressas ou toalhas frias no local da queimadura por 10 a 15 minutos, várias vezes ao dia.

    Aplique uma loção calmante na pele, como produtos que contêm aloe Vera.

    Analgésicos, como paracetamol, podem ser úteis.

    Não faça!

    não aplique creme/gel de benzocaína, lidocaína ou manteiga no local. Eles podem piorar os sintomas e dificultam a cicatrização.

    Não lave a área com sabonetes abrasivos.

    Não esfregue o local.

    Não aplique álcool.

    Não fure as bolhas

    Casos graves

    Se houver qualquer sinal de gravidade, como choque, falência cardíaca ou desidratação, procure assistência médica.

    Esses sinais são:

    Náusea, febre, calafrio

    Pele úmida, fria e pegajosa

    tonteira ou desmaio

    sede intensa, ausência de urina,olhos encovados

    pulsos periféricos rápidos

    respiração ofegante

    bolhas dolorosas e numerosas

  • Câncer de Pele


    cancerdepeleWEB

    Quais são os fatores de risco?

    O câncer de pele é mais comum em pessoas de pele clara, principalmente aqueles com cabelos loiros ou ruivos e olhos claros. No entanto, qualquer pessoa pode desenvolver câncer de pele.

    Outros fatores de risco são: exposição solar, história familiar de melanoma, história de queimaduras solares na infância, presença de numerosas efélides (sardas), presença de numerosos nevos (pintas)- mais de 50, presença de nevos atípicos/ displásicos

    Como posso prevenir o câncer de pele?

    Evite exposição solar intensa na infância. É estimado que 75 a 80% da dose total de radiação solar da vida inteira é recebida antes dos 20 anos de idade. A incidência de câncer de pele cairia dramasticamente se crianças e adolescentes recebessem proteção solar adequada.

    Evite exposição solar durante as horas de pico de intensidade do sol (entre 10 a.m. a 4 p.m.)

    Não existe a expressão “bronzeado saudável”. Exposição solar sem proteção causa envelhecimento da pele e aumenta o risco de desenvolvimento de câncer de pele.

    Aplique protetor solar no mínimo FPS 30 com proteção anti-UVA e UVB em todas as áreas expostas do corpo 30 minutos antes da exposição solar.

    Reaplique o protetor a cada 2 horas, após molhar o corpo e após sudorese excessiva.

    Aplique protetor mesmo em dias nublados

    Use um protetor labial sempre

    Use roupas e chapéus/bonés para proteger o corpo e rosto

    Use óculos escuros com proteçãoUV para proteger os olhos da radiação solar

    Evite exposição à radiação UV proveniente de lâmpadas e máquinas de bronzeamento

    Proteja as crianças. Aplique protetor solar freqüentemente em crianças acima de 6 meses de idade

    Lembre-se que a areia e cimento refletem os raios UV. Por isso, aplique protetor solar mesmo se estiver embaixo de guarda-sol. A neve também é um ótimo refletor de raios ultravioleta. Use protetor sempre. E lembre-se de reaplicá-lo!

    O auto-exame da pele

    O diagnóstico de um câncer inicial é o principal passo para a cura. Por isso, você pode encontrar uma lesão suspeita através do auto-exame da pele.

    Examine seu corpo de frente e costas através de um espelho.

    Olhe atrás de seus braços, suas pernas, pés (planta e dorso), entre os dedos.

    Examine o pescoço, nuca e couro cabeludo com o auxílio de uma espelho de mão.

    Examine seus nevos (pintas), sardas e outras lesões.

    Fique alerta se houver mudanças no número, tamanho, cor, forma e relevo de lesões pigmentadas.

    Consulte um dermatologista se notar qualquer alteração de suas lesões.